Concentração nas modalidades de luta – parte final

Tempo de leitura: 8 minutos

Vimos nos artigos anteriores o que é concentração e como ela pode ajudar o praticante de lutas, assim como alguns problemas relacionados à concentração.

Nesta terceira e última parte, mostrarei algumas formas de melhorar a concentração nas modalidades de luta.

Boa leitura!

 

Sobre a concentração

A capacidade de concentração, ou atenção, é essencial não só para o desempenho nas modalidades de luta, mas para qualquer atividade que uma pessoa queira desempenhar.

Nas lutas, dificuldade em se concentrar pode ocorrer por diversas razões, como: excesso de expectativa, fadiga, foco em acontecimentos passados, atenção exagerada à mecânica corporal e “amarelar” sob pressão.

Mas nem tudo está perdido!

Se você é daqueles que possuem este tipo de dificuldade, tenho uma boa notícia para você.

Algumas técnicas podem ajuda-lo a melhorar a atenção e, consequentemente, seu desempenho.

Acredito que serão muito úteis tanto no caso de você ser um praticante de lutas querendo aumentar o próprio rendimento, quanto se você for um professor ou treinador, que queira ajudar seus alunos a melhorar neste quesito.

Então vamos lá!

 

Atitudes de professores e treinadores que podem ajudar na concentração de seus alunos

Professores e treinadores poderão utilizar técnicas para aumentar a motivação de seus alunos tanto durante os treinamentos quanto nas competições.

No livro Metodologia Científica do Treinamento Desportivo, Moreira e Tubino expõem algumas formas como treinadores podem motivar seu atleta.

 

Nos treinamentos:

  • Conscientizar o atleta de seu progresso;
  • Usar lemas ou frases que o lembrem do motivo de estar treinando;
  • Estipular metas que não estejam além do alcance de seu atleta;
  • Atenção a seus alunos, tanto em grupo quanto individualmente.

É importante que o professor saiba identificar o momento em que se faz necessário, e o que não o é, para que consiga dar espaço suficiente para seu aluno se desenvolver.

 

Nas competições:

  • Ajudar o atleta a acreditar em sua capacidade de sucesso na competição;
  • Evitar reprimendas durante as competições;
  • Ter uma atitude positiva durante as competições, evitando transparecer nervosismo e raiva.

Lembre-se que o atleta está em uma competição representando a sua equipe. Portanto, o treinador deve fazer o possível para que ele se sinta à vontade e confortável durante a competição. Isso fará com que entre para lutar com menos pressão, aumentando seu desempenho.

 

Técnicas que podem te ajudar a melhorar a concentração

Os pesquisadores MacPherson, Collins e Morriss sugerem algumas técnicas que podem ajudar a melhorar a concentração, que são devem ser aplicadas pelo próprio praticante.

Segundo eles, técnicas diferentes funcionam melhor para pessoas diferentes, ou seja, dependendo do perfil de cada pessoa, ela pode se adaptar melhor a uma técnica do que a outra.

Vamos conhece-las.

 

Simulações

Atletas geralmente competem em ambientes diferentes de onde estão habituados a treinar.

A presença de juízes, torcida, ambiente diferente, clima diferente, comida, local, exposição à mídia são alguns fatores que podem tirar a concentração do atleta.

Nem sempre é possível simular todos esses fatores, no entanto, com um pouco de criatividade, algumas dessas situações podem ser reproduzidas.

Realizar treinos em locais onde não está habituado, mas onde tenha um relacionamento amigável com os treinadores, é uma boa estratégia.

Simular o dia da competição, com alguém fazendo o papel de árbitro, e com a presença de torcida, ou até mesmo de um gravador onde se ouça o barulho da torcida, são estratégias que podem ajudar o atleta a vivenciar situações em que não está acostumado.

Com isso, no dia de uma competição, conseguirá lidar melhor com uma situação diferente da que está acostumado, sendo capaz de manter a concentração em tal situação.

 

Palavras sugestivas

O diálogo interno, que pode ser observado muitas vezes por atletas que estão prestes a competir, pode ser um grande aliado à manutenção do foco, não só para atletas, mas para qualquer pessoa.

Geralmente os atletas conversam consigo mesmos para se motivarem a ter um bom desempenho, pensando ou verbalizando palavras do tipo “força”, “vamos lá”, “aguente firme”, entre outras.

Isso pode ser perfeitamente reproduzido pelo praticante comum, ou mesmo por pessoas comuns que querem manter o foco e se motivar caso precisem realizar algo que considerem desafiador.

Essa conversa interior pode ser usada tanto para causar a ativação quanto para o relaxamento.

Coordenando com a respiração, palavras como “calma” ou “relaxa” podem diminuir a tensão, caso esta se encontre em um nível muito alto.

 

Evitar pensamento crítico

O outro lado da moeda da conversa interior são os pensamentos que podem não ser tão produtivos.

Isso pode acontecer por exemplo quando alguém realiza algum movimento errado e logo pensa “droga, sempre erro esse movimento” por exemplo.

Esse tipo de pensamento, além de não ajudar em nada, ainda causa prejuízo no desempenho.

A pessoa, inconscientemente, passa a acreditar que não é capaz de realizar tal tarefa, tornando mais difícil sua realização.

O grande problema deste tipo de pensamento é o julgamento. Ao julgar seu desempenho como bom ou ruim, as pessoas tendem a generalizar ao enfrentar situações similares.

Com isso, se você julgou que teve um desempenho ruim em algo, ao precisar enfrentar a mesma situação novamente, é provável não se sinta apto a realizar a tarefa com destreza.

Uma técnica chamada mindfulness pode ser uma aliada contra esse problema. Ela consiste em perceber o momento sem julgamentos, não tentando evitar pensamentos negativos, mas procurando estar plenamente consciente do momento presente.

A técnica do mindfulness tem como objetivo a conscientização plena, o que consequentemente trará a melhora no foco.

 

Estabelecimento de rotinas pré-competição

Segundo o pesquisador Aidan Moran, a definição de rotinas pré-desempenho são uma forma de preparar a mente para a atividade e ajudar na concentração.

O pesquisador define este tipo de técnica como sendo “uma sequência de pensamentos e atos relevantes à tarefa em que se envolve um atleta de forma sistemática antes do desempenho de uma habilidade esportiva específica”.

A adoção desta técnica ajuda o indivíduo a manter o foco de atenção em pensamentos que são relevantes à atividade que vai desempenhar, deixando de lado pensamentos irrelevantes.

Cada pessoa irá desenvolver as próprias rotinas, que podem ser simples ou complexas.

O pesquisador Stewart Cotterill propôs um método de cinco etapas que tem como objetivo desenvolver rotinas pré-competição. São elas:

  • Filmagem da rotina de treinos e competição do atleta;
  • O praticante irá assistir aos vídeos e procurar entender as rotinas já utilizadas por ele;
  • Execução das rotinas já existentes e, com o auxílio de um psicólogo esportivo, tentar interpretar o significado e a utilidade de cada comportamento.
  • O psicólogo esportivo irá averiguar qual é o objetivo que o atleta quer atingir com a rotina, podendo ser por exemplo o relaxamento ou a atenção, e, em conjunto com o atleta, estabelecem uma palavra que desencadeará os mesmos efeitos daquele comportamento.
  • Colocar as rotinas em prática durante os treinamentos. Em um primeiro momento, o atleta vocaliza a palavra definida com o psicólogo esportivo em voz alta e, a medida que isso vai se tornando natural para ele, não é mais necessário vocalizar.

 

Elaborar planos de competição

Aqui entra novamente a visualização.

Procurar imaginar com riqueza de detalhes como será sua disputa, quais golpes irá utilizar com determinado adversário, como fará para vencê-lo, e sempre procurando achar um resultado que seja positivo para você.

Isso fará com que a mente já esteja habituada àquelas situações, por já as ter vivenciado. Consequentemente, no dia da execução da tarefa, pensamentos ou outras coisas irrelevantes não serão capazes de tirar seu foco.

Perceba que isso pode ser aplicado a qualquer atividade. Seja em uma prova difícil pelo qual você irá passar, ou uma apresentação que precisará fazer no trabalho, a utilização desta técnica será muito útil.

 

Aprender bem as habilidades

De nada adiantam as técnicas apresentadas anteriormente se você ainda não domina totalmente as habilidades necessárias para sua atividade.

As técnicas que você irá utilizar durante a competição, exame de graduação, demonstração, ou seja lá qual for a atividade que você irá fazer, já devem estar incorporadas, e você precisa ser capaz de executá-las de forma automática, sem precisar pensar.

Se você é capaz de executar as técnicas automaticamente, poderá se concentrar em “o que você precisa fazer” e não em “como você precisa fazer”. Assim o poder de concentração aumenta, já que não terá a preocupação sobre a forma como está executando as técnicas.

Consequentemente, o desempenho na atividade irá melhorar também.

 

Nesta série de três artigos procurei focar na concentração, voltada para lutadores e praticantes de artes marciais.

Se tem algum tema diferente que você gostaria que fosse abordado aqui, deixe seu comentário.

Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *