Concentração nas modalidades de luta – parte 1

Tempo de leitura: 5 minutos

A concentração é uma capacidade essencial para a realização de qualquer atividade. Nas modalidades de luta não é diferente.

Tanto um aluno que pratica lutas algumas vezes por semana quanto um atleta profissional de lutas precisa desta habilidade para que possa progredir em sua prática.

Nesta série de três artigos, tentarei mostrar qual a importância da concentração nas modalidades de luta, quais são os principais problemas relacionados à concentração, e finalmente, algumas formas de melhorá-la.

Espero que goste!

 

O que é concentração?

Basicamente, concentração é a capacidade de fixar a atenção a determinada atividade.

O indivíduo com alto grau de concentração é capaz de dar foco ao que é mais importante em determinada situação, fazendo com que todo o resto fique em segundo plano.

Segundo Leandro Paiva, a capacidade de concentração é um dos aspectos psicológicos mais importantes para um atleta de lutas, pois evita que o lutador se distraia durante uma competição.

Além disso, o com maior poder de concentração é capaz de focar na tarefa que deve realizar, ao invés do resultado.

Este direcionamento da atenção à tarefa faz com que a pessoa se concentre no que deve fazer.

Como se tratam geralmente de gestos e movimentos repetidos por muitas vezes durante o treinamento, é muito mais produtivo se concentrar em algo que já se está habituado a fazer do que em seu possível resultado.

Com isso, a pressão de um possível erro na execução da técnica é aliviada, pois a chance de executar o movimento com precisão é maior quando não se está pensando em errar.

Um estudo realizado com 28 atletas da seleção nacional feminina de judô de Cuba mostra que a capacidade de concentração, ou atenção, está relacionada ao desempenho no esporte, pois, para que se consiga aplicar a técnica no momento certo e seguir o plano tático, é necessário que o indivíduo tenha alta capacidade de concentração, e quanto mais acertos, melhor é o rendimento.

No livro Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício, os pesquisadores Weinberg e Gould afirmam que a concentração, quando diz respeito ao universo do esporte e exercício, é composta por quatro partes:

  • Atenção seletiva;
  • Manutenção do foco de atenção;
  • Consciência da situação; e
  • Mudança do foco de atenção.

 

Atenção Seletiva

Trata-se de focar nos sinais do ambiente que são relevantes no momento da atividade.

Pegando o caso do atleta de esportes de combate, ao entrar para competir, será exposto a diversos estímulos, como torcida, presença de câmeras, e muitos outros elementos que podem tirar o foco dele.

O atleta que tem a capacidade de dar atenção aos elementos que irão ajuda-lo na competição terão mais precisão em suas ações. Entre esses elementos estão a voz do treinador e as ações do adversário.

Outro fator importante é que na atenção o ideal é que o foco do indivíduo esteja “fora do corpo” e não “dentro do corpo”.

Isso quer dizer que, ao desferir um soco, o lutador que se preocupar em quais são os movimentos que seu corpo está realizando, e se a execução está correta, terá um desempenho menor do que aquele que se concentra no alvo, ou seja, seu oponente.

Um estudo feito por Gabriele Wulf, publicado na International Review of Sports and Exercise Psychology mostra que o foco externo da atenção traz melhores resultados na maior parte das tarefas necessárias para que o praticante alcance um bom desempenho.

Isso significa que, alguém que tenha essa habilidade, com certeza está um passo à frente.

Manutenção do foco de atenção

Além da capacidade de focar em algo, é necessário que o lutador seja capaz de se manter, ou voltar ao foco caso algo fora do esperado ocorra.

Um golpe desferido que não atinge o oponente, gritos ou vaias da torcida ou um erro do juiz são exemplos de situações que podem tirar o foco do lutador.

A capacidade de se manter focado em qualquer que seja a situação é o que permite ao atleta ser mais efetivo e cometer menos erros.

Uma luta como a de Andy Browen e Jack Burke, considerada a luta de boxe mais longa da história, durando 110 rounds, seria inimaginável se os dois atletas não tivessem essa capacidade de manutenção do foco de atenção.

 

Consciência da situação

É quando o atleta sabe exatamente o que está acontecendo na área de competição.

Essa consciência faz com que o praticante execute os movimentos certos nos momentos certos.

É possível presenciarmos cenas onde houve a falta desta consciência por parte de um lutador que, por exemplo, ao comemorar a vitória antes da hora, acaba levando um golpe e perdendo a luta.

O que faltou para ele foi a consciência do que estava acontecendo e de que a luta ainda não havia terminado.

 

Mudança do foco de atenção

A situação em que o indivíduo se encontra durante um evento, seja ele um treinamento ou uma luta, pode mudar de repente. Por isso, é necessário que você tenha a capacidade de se adaptar rapidamente à nova situação.
Pensando em um lutador que está vencendo e de repente leva um golpe forte, precisará rapidamente mudar todo o plano de luta para que consiga sobreviver enquanto estiver tonto e se manter na luta.

 

Certamente a concentração é uma habilidade que beneficia não só o atleta, mas todo o praticante de lutas, artes marciais e esportes de combate, e é essencial tanto para o aprendizado quanto para a melhora do desempenho.

E aí, o que achou deste primeiro artigo? Se identificou com alguma situação exposta aqui?

Se sim, deixe seu comentário para que possamos discutir e nos aprofundarmos sobre o assunto.

Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *