Ewerton Teixeira

Apenas um lutador!

Conheci as artes marciais como muitos na minha época as conheciam, através dos populares “filmes de pancadaria”. Meus atores preferidos no gênero eram Bruce Lee , Jean Claude Van Damme e Jackie Chan.

Eu simplesmente não perdia um filme, e cheguei a perder as contas de quantas vezes assisti aos filmes de cada um deles.

Meu pai, que havia praticado Karate Kyokushin em sua juventude, resolveu retomar os treinos quando eu e meu irmão já estávamos mais crescidos. Aos meus oito anos de idade, meu pai me convidou para ir treinar com ele na academia da Liberdade, que é a Matriz da América do Sul na modalidade.

Gostei do ambiente e comecei a treinar. Na época, treinei por aproximadamente dois anos e meio, dando uma pausa, e retornando aos 16 anos de idade, já com o intuito de me tornar um atleta de nível internacional.

Tive a sorte de ter a oportunidade de treinar com atletas que já estavam no nível que eu queria alcançar desde muito cedo, o que me ensinou o quanto eu teria que me dedicar e me sacrificar para um dia chegar lá também.

Com a ajuda dos mestres, professores, atletas e companheiros de treino, fui pouco a pouco conquistando meu espaço e colecionando títulos.

O primeiro título internacional veio aos 19 anos, com a conquista do All American Open, onde me tornei o atleta mais jovem a conseguir tal título, recorde que se mantém até hoje.

Este foi o ponto de partida para muitos outros que viriam. Fui pentacampeão do All American, campeão mundial por equipes, por peso (pesado) e absoluto (sem divisões de peso). Lutei na maior organização de luta em pé da história, o K-1, onde tive a oportunidade de enfrentar atletas que eram meus ídolos na adolescência, como Peter Aerts, Jerome Le Banner e Musashi.

Fiz algumas lutas de MMA também, tendo lutado no Bellator uma vez.

Apesar de, durante minha carreira de atleta, meu foco estar totalmente nos treinos e competições, sempre tive a leitura como hobby. Qualquer assunto me interessava, e é assim até hoje, mas os meus preferidos eram artes marciais, métodos de treinamento, gestão, empreendedorismo e desenvolvimento pessoal.

Esses últimos me levaram a estudar e me formar em Processos Gerenciais, e a fazer duas formações em Coaching.

Pensando em atuar no esporte, fiz duas pós-graduações: uma em Lutas, Artes Marciais e Esportes de Combate, e outra em Administração e Marketing Esportivo.

O que eu fui aprendendo com o tempo é que eu não precisava me limitar a trabalhar apenas com o esporte, já que as experiências adquiridas durante minha carreira poderiam ser reproduzidas nos mais diversos ambientes. Além do mais, o gosto pela leitura me levou naturalmente a gostar de escrever também.

Quando comecei a escrever para a web, recebi muitos conselhos e dicas que me serviram de aprendizado. Mas o principal aprendizado surgiu das minhas próprias conclusões, que foi “siga sua intuição”. Apesar de grato às pessoas que tentaram me aconselhar nesta parte, acabei me perdendo um pouco no caminho por manter os ouvidos muito abertos, o que fez com que meu conteúdo se tornasse confuso.

Resolvi então, apesar de manter minhas postagens antigas, escrever sobre as coisas com as quais mais me identifico, que são as artes marciais e desenvolvimento pessoal (sem me limitar apenas ao Coaching). Além disso, pretendo compartilhar experiências pessoais que de repente podem servir de inspiração para alguém.

Enfim, me considero apenas um lutador. No fundo, acredito que todos os seres humanos são lutadores. O que mudam são apenas as arenas em que atuam!

Pular para a barra de ferramentas